________________________________________


"Entre livros nasci. Entre livros me criei. Entre livros me formei. Entre livros me tornei. Enquanto lia o livro, lia-me, a mim, o livro. Hoje não há como separar: o livro sou eu - Bibliotecária por opção, paixão e convicção".

Lemos porque a necessidade de desvendar e questionar o desconhecido é muito forte em nós”

"O universo literário é sempre uma caixinha de surpresas, em que o leitor aos poucos vai recolhendo retalhos. Livros, textos, frases, poemas, enfim, variadas formas de expressão que vão compondo a colcha de retalhos de uma vida entre livros. É o que se propõe".

Inajá Martins de Almeida

assim...

"Quem me dera fossem minhas palavras escritas. Que fossem gravadas num livro, com pena de ferro e com chumbo. Para sempre fossem esculpidas na rocha! (Jó 19:23/24)

________________________________________________________________

“Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância.”

Fernando Pessoa - Poeta e escritor português (1888 - 1935)

____________________________________________________________________

terça-feira, 18 de setembro de 2012

ÁLBUM DE RIO CLARO - Nelson Martins de Almeida

"A minha terra é terra de Indaiá...
Terra abençoada...
Trens que vão cruzando...
Sonhos dourados..."

Rio Claro minha terra natal



Ao atingirmos a marca das 70.000 visitas neste blog, quero fazer uma homenagem a uma pessoa muito especial - Nelson Martins de Almeida - meu pai.

Historiador incansável que aos noventa e quatro anos parte (09/05/2012), após deixar fabuloso legado, aos poucos resgatado por esta testemunha viva - sua filha Inajá.


A mim, toca-me profundamente o ter nascido na cidade paulista de Rio Claro no ano de 1950, quando então meu pai realizava trabalho histórico de inestimável valor para a cidade.

Quero neste momento, compartilhar algumas fotos retiradas do álbum, assim como trazer a lume um pouco daquele que foi meu exemplo de determinação, garra, fé. Legou-me as primeiras letras e o prazer pela leitura.





Inajá Martins de Almeida 
recolhe retalhos de uma vida entre livros, 
desenovela a história 
aos poucos compõe retalhos, 
numa colcha esplendorosa de lembranças 
que o tempo não apaga
enquanto Elvio registra em fotos o momento






Fotos: Elvio Antunes de Arruda
Texto, montagem; Inajá Martins de Almeida

2 comentários:

ELVIO disse...

Ótimo trabalho, mostrando um pouco de muito, muito do trabalho, tive oportunidade de adentrar a este àlbum, pela época em que fora montado, demonstra um trabalho muito bem feito.

Inajá Martins de Almeida disse...

Obrigada amigo de muitas horas. Obrigada por compartilhar comigo esses momentos. Minhas recordações mais íntimas. Minhas memórias tão gratas. Nossas perspectivas de trabalho a quatro mãos. Grata por fazer parte do segundo tempo de minha jornada.